quinta-feira, 30 de agosto de 2012

CAPELINHA-MG SEDIA SEMINÁRIO PARA IMPLANTAÇÃO DE CAMPUS DA UFVJM


Reitor da UFVJM parabeniza Capelinha pela mobilização social e conquista da primeira etapa na implantação de campus, mas alertou para necessidade de gestões políticas junto ao MEC e Governo Federal.

Mesa do Seminário (da direita para a esquerda da foto): Maurício Teixeira da ACIAC; Secretária de Educação de Capelinha; Professor João Valdir (UFMG), Prof Joerley Moreira (UFVJM); Pró-reitor de Pesquisa e Extensão, Alexandre Cristófaro (UFVJM): Reitor Pedro Ângelo Almeida Abreu (UFVJM), Welito Victor, Assessor de Comunicação da Prefeitura de Capelinha, Martha Sampaio e Álbano Silveira Machado, do Movimento A UFVJM e Nossa.
(Foto: José Carlos Machado) 
O Reitor Pedro Ângelo Almeida Abreu, afirmou que “o Movimento a UFVJM é nossa desencadeou uma grande mobilização social para a conquista de campus. Capelinha está de parabéns por esta primeira vitória. Agora, é necessário fazer gestões junto ao Ministério da Educação para a concretização da proposta. A UFVJM está fazendo a sua parte”. Assim pronunciou o Reitor da UFVJM, no Seminário sobre implantação de campus em Capelinha, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas.

O evento foi organizado pelo Movimento A UFVJM é nossa, com apoio da ACIAC - Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Capelinha, APERAM Bioenergia, Prefeitura e Câmara Municipal.

Ele acredita que com a doação de um terreno à UFVJM e a escolha de cursos pela população feita em Audiência Pública o campus pode se viabilizar com mais facilidade e adiantar uma decisão do Ministério de Educação e Presidência da República. 


Pedro Ângelo informou que um campus com cerca de 7 cursos demanda recursos de cerca de R$ 70 milhões, com 100 professores e 150 técnico-administrativos.

Vários questionamentos foram proferidos em relação ao calendário de implantação de campus. Ele reforçou a afirmação que a UFVJM vem cumprindo a sua parte. O resto é com o MEC, através de pressão política. "Se houver pressão, pode começar em 2014, em 2013 é impossível", concluiu. Pedro Ângelo afirma que o Prefeito Pedro Vieira já esteve com ele e o Deputado Reginaldo Lopes (PT) no MEC,em Brasília, fazendo gestões para viabilizar o projeto do campus.

Terreno para a construção

Ao chegar em Capelinha, na parte da manhã, o Reitor Pedro Ângelo vistoriou algumas áreas da APERAM, acompanhado por uma Comitiva do Movimento A UFVJM é nossa, de técnicos da empresa e de representantes políticos da Prefeitura de Capelinha.

Logo após o Seminário, o Reitor se reuniu no escritório da APERAM com o Diretor Estadual Paulo Sadi, representantes políticos da Prefeitura de Capelinha e o presidente da ACIAC – Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Capelinha, Maurício Teixeira.

Na reunião, ficou definido que a área mínima do campus seria de 35 hectares. Se houver cursos de Ciências Agrárias e necessitar de uma Fazenda Experimental a área poder ser maior. Depende dos cursos a serem escolhidos pela população.

A Prefeitura Municipal fará a doação da área necessária à UFVJM, em uma parceria com a APERAM. A área a ser escolhida será determinada através de estudos técnicos do Departamento de Infra-Estrutura da UFVJM que serão feitos nos terrenos da empresa nas proximidades da cidade.

O Diretor da APERAM, Paulo Sadi, informou que a empresa está disposta a contribuir para que o projeto possa se concretizar, ajudando a cidade a se desenvolver.
Exemplo de democracia.

“Este é um exemplo para a implantação de um campus universitário. A sociedade de Capelinha está de parabéns por esta iniciativa de realização de um debate democrático”.

Esta foi a afirmação do professor Joerley Moreira, vice-diretor da Faculdade de Ciências Agrárias, da UFVJM – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em palestra no Seminário, na Câmara Municipal. Natural de Rubim, no Baixo Jequitinhonha, e com muitas pesquisas na região, ele discorreu sobre cursos de Ciências Agrárias (Engenharia Florestal, Agronomia, Zootecnia, Engenharia Hídrica e outros). Destacou a importância desta área da ciência para o atendimento a uma vocação e impulso ao desenvolvimento regional.

Professor João Valdir Alves de Souza, da UFMG, emocionou a todos com sua sensibilidade e profundo conhecimento da educação, relembrando suas raízes no Vale, na cidade natal de Turmalina. 

João Valdir Alves de Souza, professor da UFMG, Coordenador do Colegiado Especial de Licenciatura, levantou a platéia com suas intervenções emocionantes em defesa da formação de professores da educação básica. Falou sobre sua origem, na zona rural, à beira do rio Itamarandiba, em Turmalina. A plenária formada majoritariamente por professores, gestores da educação e estudantes, se levantou várias vezes para aplaudi-lo pela sua defesa da profissão do professor e da valorização da qualidade de ensino nas modalidades da educação infantil, ensino fundamental e médio.

João Valdir defendeu a criação de cursos de Licenciatura e se colocou à disposição para participar em outros momentos para que esta meta seja alcançada.

Disse que esta formação básica era primordial até mesmo para formar estudantes que chegam à Universidade melhores qualificados e com consciência crítica.

Álbano Silveira Machado (Banu), do Movimento A UFVJM é nossa falou do desafio de construção de um campus com a participação de toda a sociedade e registrou a grande mobilização social que Capelinha desencadeia para alcançar seu sonho.

Rômulo Barbosa, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da UNIMONTES, dissertou sobre a experiência de uma Universidade regional e seu compromisso com o povo do seu território. Ele foi taxativo em dizer que uma das coisas que não se poderia abrir mão na implantação do campus seria a qualidade do ensino, pesquisa e extensão.   

A professora aposentada Neném Sampaio, do Movimento A UFVJM é nossa, disse que este Seminário era um grande passo para a conquista do campus. O Movimento continuava na luta com Capelinha e região (Foto: José Carlos Machado)

Após as palestras, aconteceu o debate com diversas perguntas e as possibilidades de um ou outro curso. Todos os palestrantes destacaram que a escolha dos cursos seria feita pela população de Capelinha e representantes dos 25 municípios da microrregião.

Foi acordado que seminários e encontros para discussões específicas das áreas de Licenciatura, Ciências Agrárias e Ciências Sociais Aplicadas deveriam se realizar para aprofundar os conhecimentos e balizar as decisões de cursos a serem instalados no campus da UFVJM em Capelinha.

Depois, o próximo passo seria apresentar um projeto ao MEC com a doação oficial da área para construção do projeto de uma Cidade Universitária. 

Fonte: Blog do Banu

Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    0 comentários:

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger