segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

JEQUITINHONHA: MUNICÍPIO É O QUE MAIS DESMATOU EM MINAS EM 2008-2009

O maior desmatamento se deu em Minas Gerais, com 115,8km² dos 248,8 km² desmatados em todo o país. Também está em Minas o município que mais desmatou: Jequitinhonha, com 21,7 km².


Foto meramente ilustrativa
A taxa de desmatamento na Mata Atlântica, no Pampa e no Pantanal, no período 2008-2009, diminuiu quando comparada com os anos anteriores. Os números foram divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e são baseados em mapas do satélite Landsat, que captam desmatamentos de áreas superiores a três hectares. As imagens são feitas no período da seca - em geral no mês de setembro - uma vez que as nuvens impedem a captação de imagens.

- O resultado mostra que você está reduzindo a dinâmica do desmatamento. Embora esteja ocorrendo conversão de vegetação nativa, isso está ocorrendo num ritmo menor - avaliou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

Para o secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Bráulio Dias, houve vários fatores que contribuíram para o resultado.

- Houve grandes ganhos de produtividade (na agricultura), portanto não há tanta necessidade de expansão das áreas. É um dos fatores. Outro é o avanço nos últimos anos de fiscalização. Como temos dados melhores de monitoramento, sabemos onde alocar os recursos de fiscalização - afirmou o secretário.

No Pantanal, foram desmatados 188km² no período 2008-2009 (uma taxa média anual de 0,12% do bioma), enquanto nos seis anos anteriores 4.279 km² de vegetação nativa haviam sido convertidos para uso humano. De 130.212 km² em 2002, restam agora 125.708 km². O município que mais desmatou foi Corumbá, no Mato Grosso do Sul, com 67,64 km². Isso se explica porque o município é o maior em extensão na região.

Apesar de ser um dos biomas mais bem conservados do país, o secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Bráulio Dias, chamou a atenção para uma mudança no tipo de desmatamento no Pantanal, que antes se concentrava na borda do bioma.

- O preocupante é que agora a frente de desmatamento está saindo do entorno do bioma, e estamos detectando no interior do Pantanal. Isso significa conversão da vegetação natural para pasto.

No Pampa, no Rio Grande do Sul, 331 km² de vegetação nativa foram convertidos para uso humano no período 2008-2009, o equivalente a 0,18% do bioma.

- No Pampa, há pressão de rizicultra, pressão para reflorestamento de eucaliptos. Existe uma pressão por papel não só no Brasil, mas também pelas empresas instaladas no Uruguai. Também há pressão da agropecuária, para conversão da vegetação nativa em pasto - afirmou Bráulio Dias, destacando ainda que, para preservar o Pampa, o ministério está incentivando o uso da própria vegetação do bioma como pasto.

Já a Mata Atlântica, o bioma menos conservado entre os três, foi também o com menor taxa de desmatamento no período: 0,02%. Para Dias, isso significa que o Brasil está no caminho do desmatamento zero da Mata Atlântica. Alguns estados, como o Rio de Janeiro, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba, tiveram desmatamento zero no período.

Nesse bioma, o maior desmatamento se deu em Minas Gerais, com 115,8km² dos 248,8 km² desmatados em todo o país. Também está em Minas o município que mais desmatou: Jequitinhonha, com 21,7 km². Em termos proporcionais, o estado que mais desmatou foi a Bahia, com 0,06% de sua área total de Mata Atlântica. Juntos, Minas e Bahia responderam por 73% do desmatamento no período 2008-2009.

A ministra Izabella Teixeira ressaltou que os dados apontam tudo o que foi desmatado em áreas acima de três hectares, mas não é possível discernir quanto disso é legal e quanto é ilegal. Bráulio Dias destacou que o ministério pretende ampliar a resolução das imagens de satélite, permitindo ver propriedade por propriedade.

No período 2008-2009, o bioma brasileiro mais desmatado foi o cerrado, com 7.637 km² convertidos para uso humano, ou 0,37 de sua área total.

O evento em que os dados foram anunciados também foi o último de que Bráulio Dias participou como secretário do ministério. Na semana que vem ele assume o cargo de secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU, com sede em Montreal, no Canadá.


Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    0 comentários:

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger