quarta-feira, 7 de setembro de 2011

TURMALINA-MG: CRESCE O NÚMERO DE FEIRAS AGROECOLÓGICAS

A ideia é fazer chegar aos consumidores a produção da agricultura familiar eliminando os atravessadores.

Em Turmalina MG, a 490 Km de Belo Horizonte, acontece às terças-feiras e aos sábados uma das mais expressivas feiras agroecológicas do semiárido brasileiro.


A Feira de Turmalina é organizada pelo Centro de Agricultura Alternativa Vicente Nica (CAV), que é uma organização não-governamental (ONG) criada em 1994 por agricultores familiares do município de Turmalina, no Vale do Jequitinhonha com o objetivo de superar o alto índice de migração, devido à acentuada degradação das terras pelo uso de técnicas inadequadas e insustentáveis, aliada à falta de políticas públicas voltadas à agricultura familiar, como infraestrutura de produção, beneficiamento e escoamento para a comercialização, assistência técnica e crédito.

Pesquisa

O coordenador do CAV, Valmir Soares de Macedo, explica que, a partir de uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Lavras, entre 2001 e 2002, constatou-se potencial bastante grande na região, ou seja, "se aqui havia bastante produção, também havia um mercado produtor para ser abastecido. A partir daí a gente também entendeu que, além das potencialidades, tinha muitas dificuldades, desde assistência técnica até agregação de valor ao produto, e comercialização.

Daí o CAV iniciou o trabalho de assessorar esses agricultores por meio de demanda deles mesmos e por meio do que foi apurado na pesquisa. Com o trabalho de assistência técnica, fundou-se uma associação no sentindo de melhor organizar os agricultores e captar recursos para algumas benfeitorias".João Batista Afonso, 59 anos, levanta à seis horas em dias normais e às quatro em dia de feira quando tem que se deslocar 11 quilômetros da comunidade de Lagoa até a sede de Turmalina. 

Para ele, o CAV dinamizou o setor de compra de insumos, as vendas e trouxe tecnologias novas. Com isso, a renda tem melhorado. "Aprendi a conservar o solo". Maria Lourivanda Macedo Rocha, 49 anos, que mora em Morro Redondo, a nove quilômetros de Turmalina, garante que "melhoraram as práticas de cultivo e também a forma de comercializar".

Fonte: Diário do Nordeste

Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    0 comentários:

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger