segunda-feira, 26 de setembro de 2011

MINAS NOVAS: CONHEÇA UM POUCO MAIS DO SOBRADÃO. 190 ANOS DE HISTÓRIA

VALOR HISTÓRICO DA EDIFICAÇÃO

Sobradão: Construído em 1821
O Sobradão foi construído em 1821 e é um dos mais originais exemplares de arquitetura do período colonial. Formado por um bloco de construção, com quatro pavimentos, estrutura em madeira e taipa, suas dimensões eram incomuns para a época. A fachada considerada como principal apresenta quatro portas de loja no térreo, em vergas alteadas e vedação tipo calha. Nas laterais, há mais 59 janelas, três portas de loja e a porta principal de acesso aos andares superiores, de altura incomum, atingindo o segundo pavimento.


Apesar de todas as pesquisas realizadas, não se apurou qual a destinação inicial do prédio. Sabe-se, entretanto, que ele já teve função pública em Minas Novas, como sede do Fórum da Comarca. Quando o Deputado Gabriel de Paula Fonseca, em 1856, apresentou à Assembléia Geral do Império, projeto de lei propondo a criação da Província de Minas Novas, o Sobradão foi indicado para ser aproveitado como o Palácio do Governo. A Província, de acordo como o projeto apresentado, abrangeria parte do território do Sul da Bahia e do Norte-Nordeste de Minas Gerais, sendo capital a antiga Vila do Fanado, hoje Minas Novas.

O prédio acha-se assim intimamente ligado à história política da região. No ano 2010, Minas Novas completou 280 anos de autonomia como município, comemorados no dia 02 de outubro. Foi em data correspondente, no ano de 1730, que o arraial passou à categoria de Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas do Araçuaí ou Vila do Bom Sucesso do Fanado de Minas Novas. Até 1757, Minas Novas pertenceu à Capitania da Bahia. O Conselho Ultramarino, por provisão de 04 de fevereiro de 1730, sujeitou a nova Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas à Comarca do Serro, ficando assim vinculada judicialmente a Minas Gerais. Permaneceu, no entanto, subordinada à Bahia, nos planos administrativo, militar e eclesiástico. Só em 13 de maio de 1757 o território incorporado ao Governo da Capitania de Minas.

ANÁLISE ARQUITETÔNICA 

O Sobradão, como foi dito anteriormente, é um dos mais originais exemplares de arquitetura em linhas coloniais e com dimensões incomuns para a época. A edificação possui quatro andares situado em alinhamento na esquina da rua Getúlio Vargas com a rua São José e tem a forma de um polígono de seis lados, que mais se parece a um retângulo e um triângulo juntos. 

A cobertura é complexa e possui sete águas, sendo que quatro águas são formadas na parte do retângulo que faz a esquina das duas ruas, e na parte posterior possui três águas. Em forma triangular unidas por rincões, onde a água central forma um gaibo que dá continuidade à água posterior do lado maior do retângulo. 

A estrutura é auto-portante em madeira, vedada externamente por alvenaria em tijolos de adobe, e as divisões internas e alvenaria de pau-a-pique. 

Artesanato encontrado no acervo do Sobradão
A fachada principal, situa-se entre as ruas Getúlio Vargas e São José, possuindo quatro portas no primeiro pavimento e janelas nos andares acima, com todos os vãos sobrepostos. 

A fachada situada na rua Getúlio Vargas, possui uma porta central no primeiro piso, que avança até o nível superior dos vãos do segundo piso. Também possui mais duas portas junto à extremidade esquerda, uma janela à esquerda e duas janelas à direita da porta central. O segundo pavimento possui três janelas à direita e três janelas à direita da porte central e sobrepostas aos vãos do pavimento abaixo. O terceiro e quarto pavimentos possuem sete janelas cada, sobrepondo os vãos abaixo. 

Na fachada da rua São José, no primeiro pavimento há uma janela e uma porte e nos pavimentos acima cinco janelas cada, todas sobrepostas. 

Nas fachadas da parte posterior, uma face possui quatro janelas no quarto pavimento e as outras duas faces voltadas para a rua São José possuem um vão de janelas por andar, sobrepostas aos outros pavimentos. 

O edifício é pintado com caiação branca nas paredes, e os vãos e a forrada dos beirais são pintados com tinta óleo cor azul colonial. 

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional IPHAN, em 1959, o prédio foi reformado anos de 1952, 1961, 1972 e 1980.
Todos os vãos possuem forma retangular e as vedações de porta e janela são do tipo calha. 

Os pisos dos quatro pavimentos são em madeira tabuada corrida. 

Os forros existem somente no quarto pavimento e é forrado em madeira tabuada, tipo saia-e-camisa. Nos andares abaixo o barroteamento de piso é aparente. 

A escada central dá acesso do primeiro ao terceiro pavimento, possuindo um patamar no nível do segundo pavimento. 

Nos cômodos da parte posterior, posição do triângulo descrito acima, estão os cômodos previstos para as instalações sanitárias que possuem pisos inclinados e que vão aumentando a inclinação a medida que sobem os pavimentos.

Saiba Mais:

Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    1 comentários:

    Nair Ramos Moreira disse...

    A história de Minas Novas é mto rica, e nós minasnovessenses devemos nos orgulhar disso, afinal Minas Novas foi um Marco Importantíssmo na história de Minas Gerais e posteriormente do Brasil também.

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger