terça-feira, 17 de novembro de 2015

COMPANHIA DE DANÇA QUIK SE APRESENTA EM CIDADES DO VALE DO JEQUITINHONHA

As cidades de Bocaiúva, Minas Novas, Capelinha, Itamarandiba e Diamantina, na região do Vale do Jequitinhonha, receberão, de 17 a 25 de novembro, programação gratuita da Quik Cia de Dança que inclui espetáculo, oficinas e exposição.





Diferentes cidades do Jequitinhonha, no interior de Minas, receberão, durante o mês de novembro, os trabalhos da Quik Cia de Dança. O público poderá conhecer um pouco mais da Cia, que excursiona pela primeira vez pela região, promovendo uma programação especial em cada cidade, que inclui apresentação de espetáculo, realização de oficinas e uma exposição fotográfica, todos gratuitos.  A Circulação pelo Vale do Jequitinhonha marca o início das comemorações de 15 anos da Quik Cia de Dança.

A primeira parada será em Bocaiúva (17/11). Na sequência, as ações seguem para Minas Novas (19/11), Capelinha (21/11), Itamarandiba (23/11) e Diamantina (25/11). A circulação ainda terá uma segunda etapa, no primeiro semestre de 2016, que contemplará as cidades de Almenara, Araçuaí, Salinas, Itinga e Chapada do Norte, no Vale do Jequitinhonha, além de Juiz de Fora, na Zona da Mata.  “A Quik vem fazendo uma importante parceria com a Secretaria de Cultura de Minas Gerais, cumprindo um dos seus objetivos principais que é difundir a Dança Contemporânea no Estado. Já nos apresentamos em mais de 40 cidades e agora chegamos ao Vale. A linguagem e metodologia que desenvolvemos tem, em sua essência, o diálogo com a cultura local. Percebemos a potência que vai ser de trocarmos com uma cultura tão rica desta região de Minas. Acrescido a isto, vamos também convidar escolas públicas para participarem deste projeto. Enxergamos na educação uma grande possibilidade de formar público, outro importante objetivo nosso”, explica a bailarina Letícia Carneiro.


O espetáculo que será apresentado é “Ressonâncias”.  A história se constrói em parceria com a plateia, que compõe a cena, envolvendo dança, música, espaço, arquitetura e público em uma formação única, resultando em uma construção inédita a cada apresentação. A transversalidade da arte neste espetáculo se propõe a refletir o cenário vivo de cada local de apresentação, permitindo a seus interlocutores olhares que dialogam e revelam seus imaginários. Cada apresentação possibilita ao público diferentes perspectivas e formas de recepção e assimilação da montagem, de acordo com o perfil e características de cada espaço e do público presente.  Por se tratar de um espetáculo que dialoga bastante com o público e também com local onde está sendo apresentado, a expectativa da Cia. de encená-lo no Vale do Jequitinhonha é bastante grande.

Teoria e prática

Duas oficinas marcarão a estadia da Cia pelas cidades. A primeira terá como foco o público escolar. Uma escola pública de cada município receberá o jogo de cartas de memória, desenvolvido pela equipe da Quik dentro do projeto “Corredor Cultural”, aprovado pelo Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais. O jogo fala da história da dança, despertando nos alunos o interesse pela arte, além de sensibilizá-los para a apresentação de “Ressonâncias”, que será realizada em praça pública.

Já na oficina “Permeabilidades - Estratégias para uma dança criativa”, ministrada por Rodrigo Quik e Letícia Carneiro, os bailarinos irão trabalhar com a improvisação como um meio de aproximação do público com o seu sensório e sua percepção, potencializando sua sensibilidade através da exploração deste corpo e suas relações com o espaço, com outros corpos e com a música. Neste sentido, esta oficina desenvolverá, através de técnicas de consciência corporal e de jogos de improvisação em dança, a possibilidade de sensibilização e da vivência do público com os processos de criação utilizados durante o espetáculo “Ressonâncias”. A atividade é aberta a todo o público.

Exposição “Outros Olhares” - A exposição reúne o olhar de vários fotógrafos sobre o espetáculo “Ressonâncias”, desde 2010, criando diferentes possibilidades de novas realidades, interlocuções e transversalidades. A proposta é refletir o cenário vivo e a presença do público de cada local de apresentação, permitindo a seus interlocutores olhares que dialogam e revelam seus imaginários.

A curadoria foi feita por Rodrigo Quik e Letícia Carneiro. Dentre os fotógrafos participantes estão Ilana Lansky, Foca, Nina Blauth, Ary Kerner, Guto Muniz e Tarcísio de Paula.  “Essa variedade de fotógrafos é algo que nos estimulou muito, pois são diversos olhares, em situações bem distintas e também com público e arquitetura completamente diferentes. Alguns fotógrafos foram encontrados espontaneamente, durante nossas apresentações, e outros foram contratados pelos eventos e nos passaram as imagens. O que nos motivou a criar esta exposição foi a possibilidade interdisciplinar, pois  estamos misturando um trabalho de artes visuais com artes cênicas e performance. Criamos assim, novos significados e símbolos para  nós, artistas envolvidos, e para o público”, conta Rodrigo Quik.

Ressonâncias é um marco no trabalho de improvisação desenvolvido pela Quik Companhia de Dança.  Desde 2006,  a Cia  tem focado suas  pesquisas a partir da improvisação. Para isso, tem investigado novos métodos de composição,  construindo  partituras de relações cênicas como um caminho possível.  “Ressonâncias”, que vem sendo realizado desde 2008, tem passado por várias fases, modificações e amadurecimentos. É uma obra artística com uma metodologia muito interessante e própria, que vem sendo construída e descoberta através do próprio fazer, em locais muito diferentes e na relação aberta e interativa com cada um dos públicos. É um espetáculo que tem tido uma aceitação grande em festivais no Brasil, não só de dança, mas também de teatro. Só neste ano, o espetáculo esteve  no “Festival Internacional de Rua de Porto Alegre”, em Porto Alegre; “Festival de Inverno de Garanhuns”, em Pernambuco; e “Festival Internacional Latino de Teatro”, em Salvador.

Ficha Técnica do espetáculo “Ressonâncias”

Concepção, Criação e Interpretação: Letícia Carneiro e Rodrigo Quik
Criação e execução da trilha sonora ao vivo: Rodrigo Salvador  e Antônio Moreira
Figurino: Silma Dornas e Rodrigo Quik
Cenografia: Letícia Carneiro  
Produção executiva: Merry Couto

Ficha Técnica da Exposição “Outros Olhares”:
Realização: Quik Cia de Dança
Curadoria: Letícia Carneiro e Rodrigo Quik
Fotógrafos: Ary Kerner, Guto Muniz,  Ilana Lansky, Foca, Nina Blauth,  Paula Ternoval  e Tarcísio  de Paula

Sobre a Quik Companhia de Dança - Fundada em 2000, no bairro Jardim Canadá – Município de Nova Lima(MG), pelos bailarinos Letícia Carneiro e Rodrigo Quik. Ambos com vasta experiência profissional em dança contemporânea no Brasil e no exterior, como integrantes do Grupo Corpo de 1984 a 1996. A Cia completou, em 2015, 15 anos de existência possuindo no seu repertório oito  espetáculos. Nesse processo, construiu uma metodologia de criação artística, na qual sempre valorizou os procedimentos de pesquisas sistematizadas em dança contemporânea e suas interfaces com outras linguagens artísticas. A Quik descobriu, nesta trajetória, que novos olhares para o mundo e diferentes possibilidades de dialogar  com outras linguagens artísticas, trazem potencialidade de criação para seus espetáculos. Há 13 anos, a Quik atua na comunidade do Jardim Canadá, em Nova Lima(MG), por meio de seus projetos sócio-artístico-cultural, contribuindo para o acesso da população aos bens culturais, através das atividades promovidas no "Quik Espaço Cultural" e pelas ações produzidas em seu projeto de educação pela arte, o "Quik Cidadania".

Patrocínio: Petrobras, Governo Federal Brasil Pátria Educadora. Incentivo: Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

Programação Quik Cia de Dança – Jequitinhonha

Espetáculo “Ressonâncias”, exposição “Outros Olhares” e oficinas
(Todas as atividades ocorrerão nas praças)

Bocaiúva
Data: 17/11

Espetáculo “Ressonâncias”
Horário: 17h
Local: Praça Wan-Dick Dumont

Oficina “Vivência Criativa”
Horário: das 18h às 18h45
Local: Praça Wan-Dick Dumont

Exposição fotográfica”Outros olhares”
Horário: das 16h às 19h
Local: Praça Wan-Dick Dumont

Minas Novas
Data: 19/11

Espetáculo “Ressonâncias”
Horário: 18h
Local: Praça Nossa Senhora da Gruta

Oficina “Vivência Criativa”
Horário: das 19h às 19h45
Local: Praça Nossa Senhora da Gruta

Exposição fotográfica”Outros olhares”
Horário: das 17h às 20h
Local: Praça Nossa Senhora da Gruta

Capelinha
Data: 21/11

Espetáculo “Ressonâncias”
Horário: 9.30h
Local: Praça do Povo

Oficina “Vivência Criativa”
Horário: das 10.30h às 11h15
Local: Praça do Povo

Exposição fotográfica”Outros olhares”
Horário: das 9h às 12h
Local: Praça do Povo

Itamarandiba
Data: 23/11

Espetáculo “Ressonâncias”
Horário: 16h
Local: Praça dos Agricultores

Oficina “Vivência Criativa”
Horário: das 17h às 17h45
Local: Praça dos Agricultores

Exposição fotográfica”Outros olhares”
Horário: das 15h às 18h
Local: Praça dos Agricultores

Diamantina
Data: 25/11

Espetáculo “Ressonâncias”
Horário: 17h
Local: Praça do Mercado Velho

Oficina “Vivência Criativa”
Horário: das 18h às 18h45
Local: Praça do Mercado Velho

Exposição fotográfica”Outros olhares”
Horário: das 16h às 19h
Local: Praça do Mercado Velho

Informações para a imprensa
Fábio Gomides – (31) 9693-2767
Cristiana Brandão – (31) 9791-5702

@aduplainforma

EXÉRCITO INICIA MONTAGEM DE PONTE METÁLICA NA BR-367, ENTRE ALMENARA E JACINTO

O trabalho de montagem será feito em três etapas.
A expectativa é que os trabalhos sejam finalizados em 15 dias.Foto: Diário do Jequi
Militares da 23ª Companhia de Engenharia de Combate do Exército Brasileiro de Ipameri (GO), iniciaram na sexta-feira, 13 de novembro, a montagem de uma ponte provisória sobre o Rio Rubim do Sul, na BR-367, entre Almenara e Jacinto, na região do Vale do Jequitinhonha.

A expectativa é que os trabalhos sejam concluídos em quinze dias e o tráfego seja normalizado em uma das principais ligações entre Minas Gerais e o Sul do Estado da Bahia.

A estrutura metálica é montada com a junção de painéis de aço especial importado e terá lance único, ou seja, sem pilar e apoiada sobre as duas margens do curso d’água.

Os trabalhos serão realizados em três etapas. A primeira fase é a preparação do terreno com serviço de terraplanagem. Em seguida será feita a montagem e lançamento da estrutura metálica. Por fim, será colocado o piso e a preparação das duas rampas de acesso.

Após a montagem da ponte, uma equipe de militares da 23ª CIA E CMB permanecerão 24 horas no local para realizar o controle do tráfego até a retirada da ponte.

Mais Fotos:

















Fonte: Diário do Jequi

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

JEQUITINHONHA E NORTE MINEIRO: COMO REVERTER A POBREZA EM RIQUEZA? por Douglas Ribeiro

Reverter a pobreza em riqueza é possível. Acima Fotos de Seul – Coréia do Sul em 1961, quando a Coréia era mais pobre que muitos países africanos e hoje, uma das Nações mais prósperas da Terra.
Como todos sabemos, nosso estado é extremamente heterogêneo. Minas apresenta diferentes graus de desenvolvimento ao longo de seu território.

Felizmente o número de regiões desenvolvidas é maior do que as subdesenvolvidas. Porém, o que fazer para mudar a realidade dessas últimas?

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Minas Novas: Divulgado edital do TJ para seleção de estagiário de pós-graduação em Direito. Salários de R$1.570,50, mais auxílio-transporte

Entre os dias 9 e 20 de novembro de 2015, das 12h às 17h, na administração do Fórum da Comarca de Minas Novas-MG, localizado na rua Cel. José Bento Nogueira, s/n, centro, estão abertas as inscrições para seleção pública de estagiários de pós-graduação em direito da comarca de Minas Novas.



O estagiário fará jus ao recebimento de bolsa equivalente a R$1.570,50, mais 10% de auxílio-transporte, em pecúnia, do valor da bolsa de estágio.

A carga horária para a realização do estágio é de 30 (vinte) horas semanais, com jornada diária de 6 (seis) horas.

A prova será realizada no dia 5 de dezembro de 2015, das 08h às 12h, no salão do tribunal do júri do fórum da comarca.


RECURSO DE PENAS PECUNIÁRIAS: MINAS NOVAS CADASTRA ENTIDADES

A comarca de Minas Novas publica o edital 01/2015, para cadastrar instituições, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, com finalidade social, a fim de receberem recursos provenientes de prestações pecuniárias.

As entidades interessadas devem entregar os documentos, até às 18h do dia 10 de dezembro de 2015, no setor de protocolo da comarca.

Saiba mais sobre recolhimento e destinação de recursos de penas pecuniárias em Processos >Utilização de valores penas pecuniárias.

INAUGURADA VARA DO TRABALHO EM ARAÇUAÍ

Presidenta do TRT inaugura em Araçuaí, nova sede da Vara do Trabalho. A nova sede fica próxima ao mercado municipal e rodoviária da cidade.
O Tribunal Trabalhista atenderá 19 municípios do Médio Jequitinhonha. Foto: Gazeta de Araçuaí



Desde quinta-feira (5/11/2015) A 1ª Vara do Trabalho de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha passou a contar com nova e ampla sede  e com o sistema informatizado do Processo Judicial Eletrônico-PJE.

As duas melhorias foram inauguradas pela presidente do Tribunal Regional do Trabalho –TRT- desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, com a presença de autoridades da instituição, advogados, jornalistas e representantes de entidades do município e da região.

 Foto do Coral Meninos de Araçuai com a presidente do TRT vai ilustrar cartão de Natal do Tribunal

Da solenidade, participaram ainda, o Coral Meninos de Araçuai e a orquestra filarmônica Pedra Verde, de Itaobim, cidade vizinha.

Coral Meninos de Araçuai, interpretou músicas de Miltom Nascimento que já cantou com o grupo e músicas do folclore regional
Orquestra Filarmônica Pedra Verde, de Itaobim, regida pelo maestro Ronan Magalhães Lima.
O novo edifício da Vara do Trabalho está situado à rua Nossa Senhora Aparecida 427, próximo ao mercado municipal e à rodoviária da cidade.

Nos 615 metros quadrados de área construída estão incluídas sala de audiências, dois gabinetes, salão para secretaria e atermação, sala para advogados e hall de espera, todos climatizados.

Hall de entrada do Fórum será utilizado como galeria de arte para exposição de obras de artistas da região.

O hall será utilizado também como espaço cultural para exposição de obras de artistas e artesãos  da cidade e da região. A primeira mostra, a se realizar nas próximas semanas será do pintor Ernani Calazans.

O Fórum do Trabalho de Araçuai, funcionou por vários anos em imóvel situado no centro histórico da cidade.

“ Se Deus quiser, será bem resolvida a grave crise que se abateu sobre a nossa nação. Então, da mesma forma que todo o país Araçuai e os municípios desta jurisdição também encontrarão novos caminhos para o futuro. Assim que houver maior movimento econômico seguramente o nosso Tribunal também vai se programar para construir uma sede própria em Araçuai”, disse a desembargadora Maria Laura Franco Lima.

Advogado Ivan Brandão da OAB-Araçuai
Também na solenidade, o advogado Ivan Benedito Brandão, presidente da subseção da OAB de Araçuaí, presente à instalação da vara há dez anos atrás e hoje à instalação do Pje, em sua fala atribuiu os bons serviços prestados pela Justiça do Trabalho na região à competência de seus magistrados e servidores.
Prestigiando também o evento, o prefeito municipal de Araçuaí, Armando Paixão, destacou a importância da justiça na região principalmente para o trabalhador rural, que segundo ele, precisa dela para ter a garantia de seus direitos.
Processo Judicial eletrônico

Desembargadora Maria Laura e o Juiz Anselmo Bosco observam a advogada Paula Couy, protocolar primeira petição eletrônica

Com o Processo Judicial Eletrônico-PJE- a Justiça do Trabalho em Araçuai,  também entra na era da tecnologia eletrônica, abolindo as petições e os expedientes de tramitação dos processos trabalhistas, antes feitas por meio do papel.

“Agora as petições e outras providências processuais podem ser encaminhadas de qualquer lugar e dar entrada até meia-noite, em vez do limite das 18 horas.

“ O advogado pode fazer seu trabalho sem sair do escritório ou de casa, e o único momento em que deve comparecer ao foro trabalhista é na data da audiência. Ele sequer precisa carregar na pasta a cópia do processo, que estará disponível na tela do computador, 24 horas por dia e claro, também durante a audiência. Basta ter acesso a um computador conectado à internet”, informou a desembargadora.

Ela disse ainda que o magistrado ou o assessor, onde quer que esteja, poderá trabalhar no processo, ainda que este tenha 40 ou 50 volumes, sem precisar transportar montanhas de papéis.

Pelo menos 605 processos trabalhistas foram processados no Fórum Trabalhista de Araçuai, somente este ano.

Desembargadora ressalta importância de Araçuaí ao longo dos séculos.

Presidenta do TRT ressaltou importância econômica, política e cultural de Araçuaí.

O discurso da desembargadora foi elogiado pelos convidados presentes.  Ela ressaltou a importância histórica do município de Araçuai, desde sua criação, passando pelas três primeiras expedições portuguesas que penetraram a região, a de Espinoza, Fernandes Tourinho e Dias Adorno, entre 1554 e 1574.

“ A maior importância de Araçuai, vem no entanto, no final do século 19, quando o município era o quinto mais extenso de Minas Gerais e o quinto com maior número de comerciantes do estado e a sexta cidade a se tornar sede de bispado, em 1913. Araçuai era chamada capital do nordeste de Minas”, lembrou a desembargadora.

Depois dessa época muitas coisas aconteceram. Construiu-se a estrada Rio-Bahia, acabaram com a estrada de ferro Bahia a Minas e as águas dos rios Araçuai e Jequitinhonha, ficaram escassas. A agropecuária e a pesca se reduziram e aos poucos, acabou o movimento dos canoeiros que transportavam gente e mercadorias.

A desembargadora lembrou ainda do surgimento das primeiras escolas, dos primeiros jornais e o desenvolvimento da inteligência e da cultura que prevalece na cidade.

“Mas não se pode tapar o sol com a peneira, a condição social do município e do Vale do Jequitinhonha, dadas as dificuldades econômicas que passaram a enfrentar por causa da seca. Fora essas dificuldades há também em Araçuai e no Vale do Jequitinhonha, o potencial turístico representado por seu patrimônio histórico, o artesanato, a culinária típica e os atrativos culturais”, ressaltou a desembargadora.

Servidores da Justiça do Trabalho em Araçuaí, com a presidenta do TRT, Desembargadora Maria Laura Franco Lima

"Mesmo que não possamos ter uma Vara em cada um dos 853 municípios de Minas Gerais, logicamente Araçuaí jamais poderia deixar de contar com uma das sedes da Justiça do Trabalho", justificou a presidente do Tribunal.


Fonte: Ascom/TRT/Gazeta de Araçuai

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

MORADORES DA CHAPADA DO NORTE ESTÃO SEM ÁGUA HÁ QUINZE DIAS

Falta de água é um problema antigo e que sempre se intensifica neste período de estiagem.

A cidade é atendida pela Copasa e já pode ter passado até vinte e cinco dias seguidos sem água nas torneiras. É o que conta o José Maria Rodrigues dos Santos, morador da região.



A Copanor informa que o longo período de estiagem, associado ao aumento do consumo de água devido ao forte calor, tem levado à redução drástica do nível dos mananciais e prejudicado o abastecimento de Chapada do Norte.

A empresa disse ainda que várias medidas estão sendo tomadas como a construção de uma nova estação de tratamento de água e de outros dois reservatórios, além da limpeza da barragem do Rio Capivari e contratação de caminhões-pipa.

Problema antigo

Em 2013 o Blog do Jequi já havia noticiado a falta de água em Chapada do Norte (ver aqui). Moradores sofrem com a falta de água e tem que se socorrer a caminhões pipas ou mesmo buscar água nas comunidades ou municípios vizinhos.

O professor Maurício Costa, de Chapada do Norte, há algum tempo vem alertando as autoridades e moradores da região sobre a crise hídrica. Em seu blog (http://mauricioapcosta.blogspot.com.br/) é possível ver várias publicações a respeito.

Rio Capivari, que abastece Chapada do Norte secou. Foto: Maurício Costa

O morador denunciou as condições em que se encontra o Rio Capivari, que abastece o município. Veja o vídeo: 




População reclama de obras

Moradores reclamam, além do período de seca que atinge a região, de obras realizadas na barragem sobre o rio Capivari. Um possível erro técnico quanto ao local onde foi feita a barragem sobre o rio Capivari é apontado como um dos problemas para a captação de água pela Copanor.

Blogger Themes

2leep.com

 
Powered by Blogger