segunda-feira, 30 de junho de 2014

EMPRESA ANUNCIA EXPLORAÇÃO BILIONÁRIA DE MINÉRIO DE FERRO EM MINAS NOVAS-MG. ÁREA EXPLORADA SERÁ DE 1.070 Km²


Projeto prevê construção de ramal ferroviário de 160 km até Montes Claros.

Foi divulgado pela empresa Cleveland Mining, responsável pela exploração de minério de ferro em Minas Novas-MG, Vale do Jequitinhonha, em parceria com a BC Iron, a exploração de aproximadamente 1.070 Km² de minério de ferro, com teores entre 50% e 66% de ferro. O investimento inicial de Minas Novas não foi divulgado. Mas já se sabe que o investimento começará ainda em 2014. Todo o projeto, que inclui outras cidades no Brasil e na austrália terá investimento inicial de US$20 milhões de dólares.

Projeto Minas Novas-MG. Foto: Divulgação Cleveland Minig
O Blog do Jequi já havia anunciado em 2012 o estudo que indicava 750 milhões de toneladas de minério de ferro no município. No que respeita ao Projeto Minas Novas, as possíveis alternativas incluem a construção de um ramal ferroviário de 160 km para escoar a exploração até Montes Claros-MG ou mesmo um mineroduto de 300 km de extensão até o novo Porto de São Mateus-ES. Outra alternativa é a construção de mineroduto de 400 km até o novo Porto de Ilhéus-BA, segundo publicação da empresa responsável. A construção de uma ferrovia de aproximadamente 350 km de extensão até o novo Porto de São Mateus (ES) também é estudada.

Projeto Minas Novas

· 1.070 km2 de área no Norte de Minas Gerais.
· Anomalias aeromagnéticos fortes aparecem devido faixas de rochas magnetita-hematita, aparentemente dentro de uma seqüência sedimentar clástica (arenitos / siltitos)
· Sem exploração anterior de Fe
· 6 anomalias adjacentes com potencial combinado de cerca de 3 bilhões de toneladas.
· Nova ferrovia acesso previsto a 50 km do projeto

A mineradora vai utilizar o montante com sondagens, licenças ambientais, atividades de exploração, estradas de acesso e custos de exploração no Brasil e na Austrália. A BC Iron e a Cleveland Mining formalizaram, em setembro do ano passado, o processo de aquisição em etapas (earn-in) dos três projetos que pertenciam à Bahia Mineral Exploration (Bahmex).

“O semestre foi ótimo para a BC Iron. Nós registramos recordes na exportação que, combinados com o contínuo fortalecimento do preço do minério de ferro e com o nosso enfoque no controle de custos, refletiram em receitas nunca antes registradas, em fluxo de caixa e em lucros”, disse Morgan Ball, diretor administrativo da mineradora.

O projeto Minas Novas, em Minas Gerais, cobre 1064 km² e apresenta teores entre 50% e 66% de ferro.

O Blog do Jequi entrou em contato com as empresas BC Iron e a Cleveland Mining para saber mais detalhes do projeto, mas ambas não responderam a nossa reportagem.

domingo, 29 de junho de 2014

ENGENHEIRO QUE ESTAVA DESAPARECIDO É ENCONTRADO EM DIAMANTINA-MG

Bruno Gusmão havia desaparecido no domingo (22/06) quando voltava de Couto de Magalhães de Minas. Rapaz estaria sendo ameaçado, diz família.

Chegou ao fim o drama da família do engenheiro Bruno Souza Gusmão, que estava desaparecido desde o último domingo. Bruno desapareceu misteriosamente na serra de Diamantina. Somente o seu veículo foi localizado, batido, e sem nenhum de seus pertences. Na página do facebook do “Eventos Moc” já circula uma foto do engenheiro em um hospital em Diamantina-MG.

Engenheiro Bruno Gusmão, já no hospital, em Diamantina-MG.
Foto: Divulgação facebook Eventos Moc
Segundo Neide Eliane Souza Gusmão, mãe de Bruno, o último contato com o jovem foi feito no domingo à tarde. Ele estava na cidade de Couto Magalhães e seguia para Diamantina, onde na segunda-feira (23) teria uma reunião de trabalho.

De acordo com a mãe, o jovem engenheiro teria sido ameaçado de morte e foi até a cidade para registrar um boletim de ocorrência.

Domingo a tarde ele foi até Couto Magalhães registrar um B.O., pois estava sendo perseguido. Mas como havia apenas um policial de plantão, e ele teria que esperar para fazer o registro, desistiu. E foi na ida para Diamantina que ele desapareceu”, afirma Neide.

Carro encontrado na serra, em Diamantina-MG. Foto: Divulgação Facebook
Ainda segundo a mãe, Bruno parecia um pouco nervoso e duas horas depois as ligações para seu celular já caiam na caixa postal.

Bruno Souza, que mora em Montes Claros, foi até Diamantina a trabalho e disse que voltaria na segunda-feira à tarde. A família diz não saber porque o rapaz estaria sendo ameaçado.

Buscas estão sendo feitas na cidade de Diamantina e arredores e as investigações são conduzidas Polícia Civil do município.

Segundo o delegado Henrique Franco, uma equipe de investigadores foi acionada para averiguar quais foram os últimos passos da vítima.

Familiares já deram seus depoimentos e agora amigos do rapaz serão ouvidos. Soubemos que ele chegou a ter contato com colegas em Diamantina antes do desaparecimento”, afirma o delegado.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

MINAS PATRIMÔNIO VIVO RECUPERA CASARÕES DO SÉCULO 18 NO VALE DO JEQUITINHONHA

O Sobrado Velho, em Berilo, hospedou hóspedes ilustres como o mártir da Inconfidência Mineira, o Tiradentes, além de historiadores e naturalistas Iepha/MG.

O casarão do município de Berilo hospedou Tiradentes, além de outros ilustres hóspedes.


O Sobrado do Inconfidente Domingo de Abreu Vieira ou Sobrado Velho, em  Berilo, no Vale do Jequitinhonha, foi construído há mais de 250 anos e guarda histórias que vão desde a corrida pelo ouro, às reuniões que resultaram num dos maiores movimentos pela libertação do Brasil, a Inconfidência Mineira. Entre os hóspedes ilustres estão o mártir Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, historiadores e naturalistas como o francês Auguste de Saint-Hilarie e o austríaco João Emanuel Poh.

O casarão, tombado em 2001, foi restaurado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), por meio do Programa de Proteção do Patrimônio Cultural - Minas Patrimônio Vivo, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). De estilo colonial, o Sobrado Velho, que corria o risco de perder as características originais, foi totalmente recuperado. As obras foram realizadas em três etapas, que começaram em 2009 e terminaram em 2012. Foram investidos R$ 829.800,00, sendo R$ 200 mil do Fundo Estadual de Cultura e o restante proveniente do Governo de Minas.

De acordo com o técnico do Iepha responsável pela obra de recuperação, Miguel Ferman, está sendo elaborado um termo de referência para contratação dos trabalhos de restauração dos elementos artísticos integrados da edificação. “A proposta é transformar o Sobrado do Inconfidente em um Centro de Artes e Ofícios do Alto Jequitinhonha, destinado à prestação de serviços à comunidade, abrangendo, dentre outros, a implantação de oficinas de cerâmica, tecelagem e sala para ensaios musicais. A administração do local ficará a cargo da Prefeitura Municipal de Berilo,” informou o técnico do Iepha.

A professora aposentada Haydée Almeida Murta, de 86 anos, nasceu no Casarão que, na época, pertencia ao avô dela, Licínio de Souza Pereira. Haydée foi secretária de Cultura do município e registou em um livro a história  do Sobrado do Inconfidente Domingo de Abreu. “Uma história que se mistura à história da própria cidade e dos moradores. O sobrado tem um significado muito grande, ele foi o primeiro casarão suntuoso de Berilo, ele fez a história da cidade”, ressaltou a professora. 

Minas Novas

Outro casarão que faz parte da história do Vale do Jequitinhonha é o Sobrado Dário Magalhães, em Minas Novas, que também está sendo restaurado pelo programa Minas Patrimônio Vivo. Construído no século 18, o sobrado, que estava em ruínas, já foi utilizado como educandário, estabelecimento comercial e hotel. Na década de 1960 o casarão foi adquirido pelo morador de Minas Novas, Dário Sales Magalhães, que concedeu o nome pelo qual é conhecido até hoje. 

Desapropriado pela prefeitura do município, o sobrado agora vai abrigar o Museu dos Percursos, que faz parte do Projeto Circuitos Culturais de Minas Gerais da SEC. O museu vai interligar os 54 municípios do Vale em um roteiro  voltado à preservação, valorização e divulgação da riqueza cultural da região.

Segundo Miguel Ferman, responsável também por essa obra, a primeira etapa para a recuperação já foi concluída e custou R$820.960 mil aos cofres do Estado. A previsão de investimentos para a segunda fase é de R$ 650 mil. Para a etapa estão previstas a adequação de espaço para exposições e acervo, implantação da iluminação interna e externa, além da construção de um anfiteatro.  

Projetos

O Minas Patrimônio Vivo tem outros três projetos para restauração e recuperação do patrimônio histórico no Vale do Jequitinhonha: o da Igreja do Rosário em Minas Novas, já em execução, no valor de R$ 240.670 mil;  Igreja Nossa Senhora dos Prazeres, em Milho Verde, distrito do Serro, e  Igreja São Gonçalo, em São Gonçalo, também distrito do Serro. Os dois projetos estão  em fase de elaboração,  com previsão de gastos de R$ 231.000 mil para cada um deles.

O Iepha, por meio do Minas Patrimônio Vivo,  também instalou alarmes em Igrejas e Casarões do Serro, Milho Verde, Minas Novas, Chapada do Norte e Berilo.  

Minas Patrimônio Vivo

Desde que foi lançado, em 2011, o Minas Patrimônio Vivo já recuperou cinco obras nas regiões Central, Triângulo, Norte e Vale do Jequitinhonha. O Programa restaurou ainda 14 esculturas religiosas em municípios de todo o Estado. Os investimentos somam R$ 8,9 milhões.

O programa prevê ações simultâneas para restaurar e conservar a estrutura física dos bens tombados e garantir a segurança de obras artísticas, a partir da instalação de sistemas contra furtos e de prevenção e combate a incêndios.

terça-feira, 10 de junho de 2014

CHACINA: QUATRO PESSOAS DA MESMA FAMÍLIA SÃO ENCONTRADAS MORTAS EM PADRE PARAÍSO

Três idosos e uma criança da mesma família foram encontrados mortos, por disparos de arma de fogo, na noite desta sexta-feira (6) em Padre Paraíso, a 561 km de Belo Horizonte, região do Vale do Jequitinhonha, em Minas. As vítimas foram Antônio Gomes dos Santos, de 73 anos, sua a esposa Durvalina Gomes Nunes dos Santos, de 62, a sogra, Josefina Gomes Nunes, de 93, e o filho adotivo, Gilson Gomes, de 7.
 
Local onde ocorreu a chacina. Foto: Divulgação
O crime aconteceu na casa da família, na zona rural de Padre Paraíso. Segundo a Polícia Militar, não há indícios de roubo na casa. De acordo com a PM, um vizinho da família escutou gritos, tiros e o barulho de uma motocicleta vindo da casa ao lado por volta as 19h30 de sexta.


O vizinho disse à polícia que foi ver o que tinha ocorrido, e quando chegou na casa encontrou os três idosos e a criança mortos, e chamou a polícia. As polícias Civil e Militar trabalham com a hipótese de as mortes terem ocorrido por vingança. Segundo a PM, Antônio foi descrito como um "homem explosivo e bravo" pelos seus vizinhos.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) em Teófilo Otoni, o distrito mais perto de Padre Paraíso. Neste sábado (7), investigadores da Polícia Civil foram ao local do crime para descobrir mais informações sobre a execução.

Fonte: Hoje em Dia

INCÊNDIO DEIXA RESIDÊNCIA PARCIALMENTE DESTRUÍDA NA CIDADE DE DIAMANTINA-MG

Na tarde deste domingo (08/06) bombeiros do 3º Pelotão, sediado em Diamantina no Norte de Minas, atenderam ocorrência de incêndio em residência no Bairro da Palha.

Foto: Corpo de Bombeiros de Diamantina
No local, o fogo já havia sido debelado por vizinhos, cabendo aos militares a realização do rescaldo e retirada dos materiais queimados, entre eles uma cama com colchão, que causou danos à estrutura física das paredes.

Foto: Corpo de Bombeiros de Diamantina
Não havia ninguém no local na hora do sinistro porém, a solicitante adentrou a casa acreditando que seu pai estaria em seu interior, o que não ocorrera mas devido contato com os gases nocivos da fumaça, necessitou ser conduzida ao Pronto Atendimento local.

O proprietário não soube informar a causa do incêndio.

Com informações da Assessoria de Comunicação do 7º BBM e 3º Pel. BM

quinta-feira, 5 de junho de 2014

FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO 2014, EM LEME DO PRADO, DE 27/06 A 05/07


PROGRAMAÇÃO:

De 27 de Junho a 05 de Julho: Celebração da Santa Missa com animação das comunidades vizinhas e leilão após a missa.

03/07: Missa, Leilões e logo após Show Católico com a Banda Alis

04/07: Missa, Leilões e logo após Show com a Dupla Roni e Ricardo

05/07: Celebração da Santa Missa, show pirotécnico, leilões e logo após Show com a Banda Imagem.

06/07- Alvorada, cortejo, missa, procissão, distribuição do tradicional doce na praça, leilão de gado e logo após Show com a Banda Ta Fervendo e em seguida Banda Distintos Filhos.


07/07: Show com a Banda AxéBakana logo após Show com Morenos do Forró e em seguida Show com Gabriel Lener.

BR-251 - Inacabada e mortífera. Conheça a rodovia tão sonhada por Pedra Azul e outras cidades

Faça parte do grupo que tenta melhorar as condições da BR-251 Clicando Aqui.

A população dos estados de Minas Gerais e Bahia estão sofrendo com a BR-251. Uma das rodovias mais importantes do país sofre com dois problemas: falta de pavimentação e precariedade da pavimentação onde o asfalto existe.


Exemplos de falta de pavimentação são, por exemplo o trecho que sai de Pedra Azul, em Minas Gerais, até a BA-270, em Potiraguá-BA. De Pedra Azul até o distrito de Pedra Grande, o trecho é administrado pelo governo de Minas. Recentemente foi licitado o projeto de engenharia pelo governo mineiro, mas a empresa responsável ainda não entregou o trabalho e até o momento, não há qualquer previsão de que a estrada seja asfaltada. O trecho também é importante para a cidade pois a liga a cidade de Almenara, uma das maiores do Vale, através da rodovia estadual MG-406 que também não é asfaltada. Há um fluxo grande da população entre as duas cidades, tendo quatro ônibus por dia fazendo trajetos de uma para a outra. Quando chove, estes ônibus são obrigados a dar uma volta de 207 km. O trecho mais que dobra de tamanho, já que de Almenara a Pedra Azul são apenas 92 km

O trecho também liga Montes Claros a Porto Seguro. Os viajantes que tem coragem, arriscam seus veículos pela estrada traiçoeira de chão, somada a BR-367 que se encontra com problemas piores como pontes precárias de madeira e estradas em condições ainda mais ruins. Os que não tem coragem, que são a maioria, são aumentados a aumentar muito mais o seu trajeto passando por Vitória da Conquista.

Esse trecho foi um dos principais responsáveis pela criação do movimento social "Caminhos do Vale" que criou um grupo no facebook, contando já com mais de 11 mil internautas e sendo um dos prováveis responsáveis pelo súbito investimento do governo estadual das rodovias do Vale do Jequitinhonha. O grupo fez um trocadinho com o programa de pavimentação mineiro chamado "Caminhos de Minas". Como o Vale do Jequitinhonha não possuia nenhum trecho no programa em execução, a população se mobilizou solicitando mais investimentos.

De Pedra Grande, passando por Bandeira até a divisa do estado de Minas Gerais com a Bahia, a rodovia é apenas planejada. Passando desse trecho, há outros trechos que coincidem com rodovias estaduais, além de outros trechos cedidos ao governo da Bahia. 

Trecho entre Buerarema e Ilhéus

O trecho que vai da cidade de Buerarema até a cidade de Ilhéus, ambas na Bahia, também gerou grande mobilização social com carralgadas, nome que eles davam a reunião de variados tipos de veículos trafegando pelas vias da rodovia em suas manifestações. Eles criaram o movimento "Salve a BR-251" pela melhoria das condições da via.

E a rodovia segue assim, com trechos pavimentados, outros planejados, seguindo por trechos estaduais e ainda há os mal conservados.

Uma bandeira foi levantada em prol da melhoria da condição do asfalto da BR-251, de Unaí, Montes Claros até o entroncamento da BR-116. O problema nesse trecho são as frequentes mortes que vem causando. É reconhecido em toda a região que o grande movimento da BR-116 é quando a BR-251 desenbarca naquela rodovia, aumentando o fluxo de veículos, principalmente de caminhões. Esse entroncamento também vem causando graves acidentes.
São visíveis a Pedra Cabeça Torta à direita do leitor, a Pedra Forno de Bolo ao meio e a Pedra da Conceição, praticamente dentro da cidade de Pedra Azul. As pedras são atrações turísticas do local.

Trecho entre Pedra Azul e Almenara

O site "Hoje em dia" anunciou em 30/03/2013, previsão de investimentos do governo na região. Veja um trecho do texto:

"O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) terminou o projeto de ampliação da BR-251. Estão contempladas a construção de trincheiras, viadutos e terceira faixa e ampliação de pontes.

O investimento, porém, vai consumir R$ 800 milhões, que não tem previsão orçamentária.

Pela rodovia, que encurta em 300 km a ligação entre o Nordeste e o Sudoeste do país, passam 10 mil caminhões por dia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ocorreram 84 acidentes neste ano, com 99 pessoas feridas e 11 mortes.

O coordenador regional do Dnit, Antônio Péricles Lobo, disse que o projeto executivo prevê a construção de uma trincheira na saída de Montes Claros, onde está o trevo do Anel Rodoviário, e de um viaduto no fim da rodovia, quando ela se encontra com a BR- 116, a Rio-Bahia.

Nos pontos críticos, haverá mudança do traçado para acabar com as curvas, como as existentes nas serras de Francisco Sá e de Salinas. Em diversos pontos, haverá terceira pista e reforma nas pontes, pois algumas estão fora dos padrões."

Se todas as medidas tomadas forem feitas, haverá redução significativa dos acidentes neste trecho.

O intenso debate já alcançou os meios políticos. A oposição ao governo federal cobra do candidato do governo de Minas, Fernando Pimentel, o motivo dele não ter asfaltado as rodovias federais BR-251 e BR-367 no Vale do Jequitinhonha, sendo elas as rodovias que tem o asfalto mais cobrado na região. O governo se defende alegando que as rodovias, apesar de serem federais, foram cedidas por governos anteriores ao governo estadual, que é o que detém a responsabilidade de cuidar deles.

Conheça as cidades por onde a BR-251 passa:
http://www2.transportes.gov.br/bit/02-rodo/3-loc-rodo/loc-rodo/br-251/gbr-251.htm

Confira o mapa da BR-251:

quarta-feira, 4 de junho de 2014

PEDRA AZUL-MG RECEBERÁ 2ª VARA CÍVEL EM 09/06/2014

Em 09/06, será instalada a 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude.

Vista parcial do Centro de Pedra Azul-MG. Foto: Alan Bean
No dia 09 de junho de 2014, às 11h, será realizada a audiência solene de instalação da 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da Comarca de Pedra Azul.

A instalação e a data da solenidade constam da Resolução 770/2014 e da Portaria 2994/2014, disponibilizadas na edição do DJe de 29/05/2014.

'JUVENTUDE EM FOCO' EM PEDRA AZUL É ASSISTIDO PELO CRIANÇA ESPERANÇA

Doações do Criança Esperança ajudam a manter a instituição.  
Alunos da oficina de vídeo do Projeto Juventude em Foco (Foto: Arquivo Pessoal)
O Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Vale do Jequitinhonha (CEDEDICA-VALE) em Pedra Azul, no nordeste de Minas Gerais, é uma instituição privada sem fins lucrativos que existe desde o ano de 2001 e atualmente atende um total de 105 adolescentes e jovens com idade entre 12 a 25, através de dois projetos de Educomunicação. Em 2014, a instituição recebe o apoio do Projeto Criança Esperança.

O projeto ‘Juventude em Foco’ em seu primeiro ano de atuação e com o apoio do Criança Esperança atende diretamente 85 alunos. O coordenador executivo, William Santos diz que a equipe do projeto é composta por 10 colaboradores e explica o propósito da instituição.

“Atualmente a instituição oferece oficinas de ferramentas e linguagens da comunicação, com a perspectiva de instrumentalizar adolescentes e jovens para a produção de mídias comunitárias. Além do projeto "Juventudes em Foco", desenvolvido com o apoio do Criança Esperança, desenvolvemos o projeto "Se Liga Aí!", afirma.

Com o objetivo de despertar e fortalecer os mecanismos de democracia participativa nos jovens, William destaca que o trabalho realizado é extensivo à sociedade.“O CEDEDICA-VALE atende adolescentes e jovens em risco e vulnerabilidade social, moradores de bairros periféricos e suas respectivas famílias”, pontua.

O coordenador afirma ainda que a instituição tem o reconhecimento da população pedra-azulense e do Estado.

“O CEDEDICA-VALE é uma das referências na região de trabalhos de defesa e promoção dos direitos infantojuvenis. Todos os projetos e eventos desenvolvidos pela a instituição ao longo de sua existência sempre contou com o apoio da população. Temos título de utilidade pública municipal e estadual”, ressalta.

Alunos das disciplinas de Web rádio e fotografia do Projeto
Juventude em Foco. (Foto: Arquivo Pessoal)
Mas esta não é a primeira vez que a instituição é beneficiada pelo Programa Criança Esperança. No ano de 2010 foram contemplados, já em 2011 não tiveram a mesma sorte. William diz que buscaram uma capacitação que fez a diferença.

“Quando nos inscrevemos novamente havia uma expectativa do projeto ser aprovado, mas sabíamos que a concorrência é muito grande. Dois membros da nossa equipe havia participado, no mês de Abril de 2013, de uma capacitação para captação de recurso oferecida pela UNESCO, o que nos auxiliou muito no processo de inscrição”, revela.

Ao projeto foi destinado o valor aproximado de R$ 116 mil em três parcelas no ano de 2014. O coordenador executivo destaca que “o apoio do Criança Esperança contribue  alimentação e à compra de instrumentos, alimentação, pagamento de funcionários, conta de água, luz e telefone”.

Alunos nas primeiras atividades do Projeto Juventude em Foco. (Foto: Arquivo Pessoal)
“A instituição já desenvolvia projetos na área infantojuvenil, com êxito e apoio da população. Contudo, o apoio do Criança Esperança deu grande visibilidade para a instituição, permitindo a criação de novas parcerias com outras instituições do Estado e do país. A parceria nos permitiu também a criação de um núcleo de Educomunicação e atualmente, o projeto caminha pra ser uma das referências da região neste tipo de trabalho”, destaca.

Por Jucilene Magalhães, Inter TV Grande Minas

terça-feira, 3 de junho de 2014

DIRETORIA DA SUBSEÇÃO DA OAB EM MINAS NOVAS TOMA POSSE

Na noite deste sábado (31) os advogados que integram a diretoria da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foram empossados em uma cerimônia realizada no Clube AABB de Minas Novas. O evento contou com a presença de convidados, autoridades, imprensa, advogados da cidade e representantes da OAB – MG.


De acordo com o representante da Escola Superior de Advocacia Nacib Rachid Silva, a advocacia é uma atividade exercida por muitos brasileiros. “A Ordem dos Advogados é uma instituição forte. Só em Minas Gerais são 155 mil advogados inscritos. Para se ter uma idéia do que a ordem representa no país, o Brasil possui hoje 25% dos advogados do mundo”, explica.

A sessão de posse foi presidida pelo vice-presidente da ordem, Eliseu Marques de Oliveira. O advogado destacou que a OAB se destaca pela sua credibilidade. “Desde que a ordem foi criada nos anos 30, a ética tem sido um forte componente desta instituição. Uma das poucas que ainda é vista com bons olhos pela sociedade. É dever de cada um de vocês preservar princípios como este”, disse o advogado, que é o atual vice-presidente da OAB, seção MG. Em seguida Eliseu Marques pediu que os advogados levantassem a mão direita e proferissem o juramento.

O presidente empossado Breno Loureiro disse que a sociedade precisa reconhecer o advogado como profissional e prestador de serviços. “A sociedade não recrimina o médico que cura o criminoso ou o professor que leciona para o criminoso. A sociedade não recrimina o Padre que o perdoa pelos seus pecados. Mas, o advogado, ao prestar seus serviços de defesa técnica passa a ser visto quase como seu cúmplice”, relata.

O presidente também disse que as divergências entre advogados devem ser mantidas na área profissional e nunca na área pessoal. “Não podemos nos esquecer que embora defendamos os interesses de pessoas diversas, que sejamos adversários no campo judicial, a batalha judicial jamais deve ser transferida para o campo pessoal”, explica.

No final o advogado Breno Loureiro disse que conta com os advogados da comarca para que um bom trabalho seja desenvolvido. “Afinal, quem tem direito não pede: exige!” encerra.


Por Ailton Santanna, Rádio Turmalina

REITOR E VICE DA UFVJM SÃO ABSOLVIDOS EM AÇÃO POR ABUSO DE PODER

Em 2013, eles foram condenados por exonerar uma servidora da universidade por abandono de trabalho quando, na verdade, ela estava cedida ao Tribunal Regional Eleitoral.

Na foto, campus de Diamantina; diretores vão permanecer nos cargos.
O reitor e o vice-reitor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) conseguiram na Justiça o trancamento da ação penal na qual eram réus, por descumprimento de ordem judicial e abuso de poder administrativo.

Em outubro de 2013, eles foram condenados pelos crimes após uma denúncia do Ministério Público Eleitoral que afirmava que os réus teriam exonerado uma servidora da universidade por abandono de trabalho quando, na verdade, ela estava cedida ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE–MG).

De acordo com a sentença, a pena imposta ao reitor, Pedro Ângelo Almeida Abreu, e ao vice-reitor, Donaldo Rosa Pires Junior, era de um ano de prisão em regime semiaberto, além de perda dos cargos e pagamento de multa. Os réus entraram com recurso, que foi provido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com a decisão, o recurso foi provido, por unanimidade, porque não há indícios de existência de delito, já que a ação do reitor e do vice-reitor foi orientada por “pareceres emitidos pelos órgãos de assessoramento da reitoria e por órgãos de cúpula da Administração Pública Federal".

“A requisição nominal é proibida pela constituição”, afirmou Pedro Ângelo Almeida Abreu, reforçando que ele e o vice-reitor agiram dentro do que manda a Lei ao determinar a volta da servidora às funções que ela exercia anteriormente.

Segundo Abreu, o processo administrativo por abandono de emprego só foi aberto porque a funcionária não retornou ao seu posto, mesmo depois de ser notificada. Como o recurso foi provido, ele e Donaldo Rosa Pires Junior continuarão à frente da instituição. “Continuamos nos nossos cargos com muita vontade pelo compromisso que nós assumimos com a nossa universidade”.

Entenda o caso

Em outubro de 2010, uma assistente de administração da UFVJM foi requisitada pelo TRE para trabalhar em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Inicialmente, ela ficaria no órgão até dezembro do mesmo ano, mas o prazo foi estendido até o fim de 2011. Nessa data, o TRE pediu a renovação do empréstimo, o que foi ignorado.

O reitor, então, determinou a volta da funcionária, mesmo já sendo informado pelos ministérios da Educação e do Planejamento, Orçamento e Gestão de que a renovação era irrecusável. A técnica foi notificada pela universidade para voltar ao trabalho em 24 horas, mas continuou atuando na Justiça Eleitoral.

Em abril de 2012, o reitor e o vice abriram um procedimento de exoneração da servidora por abandono de trabalho. Mesmo com uma liminar determinando o fim do processo, a demissão foi confirmada em junho de 2012.


Por Bruna Carmona, do Hoje em Dia

segunda-feira, 2 de junho de 2014

BONSUCESSO DE MINAS NOVAS É O CAMPEÃO DA 17ª COPA INDEPENDENTE DE FUTEBOL

O Centro Esportivo Dr. Pedro Vieira – Ninho da Águia, recebeu na tarde de ontem (domingo 01/06/2014) um excelente publico para acompanhar a decisão da 17ª Copa Independente de Futebol.

Foto: Reginaldo Rodrigues, Blog Regiscap1
Em campo, Bonsucesso de Minas Novas  e  Comenta de Capelinha, fizeram um belo duelo, com boas oportunidades de gols para ambas as equipes. Mas ainda no primeiro tempo “Pulguinha” marcou para o Bonsucesso, que se sagrou campeão da 17ª Copa Independente de Futebol. 
Confira a lista de premiados da competição:
Categoria
Premiado
Equipe mais disciplinada
Atlético do Aparecida
Melhor goleiro
Juninho – Nova Pátria
Artilheiro
Pulguinha – Bonsucesso
Melhor Árbitro
Dito
Atleta revelação
Davi – Cometa
Melhor jogador
Pulguinha – Bonsucesso
Melhor Técnico
Dedé – Bonsucesso
Campeão
Bonsucesso – Minas Novas
Vice- Campeão
Cometa – Capelinha
3º Lugar
Aparecida
Mais Fotos: Clique Aqui
Por Reginaldo Rodrigues, do Blog Regiscap1

ESTUDANTES DA UFVJM OCUPAM MORADIA INACABADA EM DIAMANTINA

Desentendimento entre empreiteira e universidade em Diamantina gera atraso na entrega de alojamentos e causa revolta entre os alunos.

Com cartazes, graduandos da UFVJM, em Diamantina, cobram 
apartamentos em que deveriam morar
Estudantes da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Diamantina, ocuparam, ontem de madrugada, apartamentos da moradia estudantil, cuja construção está emperrada há um ano e meio. O grupo alega que parte do alojamento está pronta para receber quem precisa do benefício. A maioria dos prédios teve a construção interrompida pela metade, e outros estão em fase inicial de obras. Mesmo sem condições mínimas de estrutura, como água encanada e luz, os alunos não pretendem deixar o local, no Bairro Cidade Nova, na periferia da cidade, e aguardam um posicionamento da reitoria.

O imbróglio da moradia estudantil começou em 29 de setembro de 2011, quando foi lançado o edital para a construção dos prédios três, quatro e cinco, referentes aos dormitórios. O projeto inclui, ainda, uma área de convivência, com restaurante e biblioteca. O valor máximo da obra foi estipulado em R$ 14,5 milhões. Documentos postados em abril, em um blog que acompanha as obras paradas na universidade, mostram que, um mês depois da abertura da licitação, cinco empresas se candidataram, saindo vencedora de um contrato de 20 meses, a Baracho e Souza Engenharia. 

O edital 13/2011 determinava a conclusão no prazo de 12 meses, a partir do início das obras. Mas de acordo com os estudantes, as obras estão paradas desde dezembro de 2012 e, ao que tudo indica, por causa de um desacerto de contas. O blog divulgou nota da UFVJM, de janeiro do ano passado, informando que todos os serviços executados pela empresa contratada foram pagos. Já a empreiteira, também por meio de nota na mesma época, disse que recebeu dinheiro por um contrato, mas pelo menos outros sete estavam pendentes e, por isso, não seria possível continuar as obras.

PAGAMENTO Aluno do 3º período do curso de humanidades, Dênis James conta que eles procuraram a empresa, mas ela teria fechado o escritório de representação em Diamantina. “A Baracho diz que recebeu pela moradia estudantil, mas não continuou a construção por falta de pagamento de outras obras. A universidade, por sua vez, argumenta que, juridicamente, se pagou por uma parte, não podem deixar o serviço por causa de outra”, relata. Pelo projeto arquitetônico, serão construídos mil apartamentos, todos individuais, em prédios de três andares. 

Cerca de 40 alunos entraram nos apartamentos às 4h de ontem. Eles passaram o sábado organizando “a futura casa” e formando comissões. Os apartamentos prontos, já pintados, têm capacidade para abrigar de 160 a 180 estudantes. A luz para ligar os eletrodomésticos foi puxada do canteiro de obras – o mesmo recurso seria usado para os apartamentos. O grupo tentava também levar a água encanada que abastecia a obra. Durante a manhã, a água foi carregada em baldes para que a limpeza pudesse ser feita. 

Aluna do 10º período de agronomia, Maíra Santiago conta que, como as obras estão embargadas, será preciso fazer nova licitação para contratar outra empresa. Ela relata que a primeira ocupação, que motivou a ação de ontem, foi simbólica e ocorreu em abril, nas ruínas do restaurante universitário, outra obra parada. “Ficaremos aqui, porque esse é um direito nosso e a reitoria está fazendo pouco caso. Todos os setores de assistência estudantil estão precários e muitos estudantes estão tendo de largar a universidade por não terem condições de pagar os aluguéis cobrados na cidade”, afirma.

O reitor da universidade, professor Pedro Ângelo Almeida Abreu, informou que, amanhã, a instituição entrará com uma ação de reintegração de posse para que os estudantes sejam retirados do local. “As moradias não estão prontas. Mesmo na parte mais adiantada, os prédios não têm instalações de água e luz”, argumenta. Segundo ele, a construtora parou a execução das obras depois que a universidade suspendeu o pagamento de outras construções, “por má qualidade do serviço.” Ainda segundo o reitor, a construtora foi multada e outra empresa está sendo contratada, por meio de licitação, para terminar os prédios. Ao todo, serão 900 quartos individuais, com estrutura de lavanderia, restaurante e sala de inclusão digital.


Por Junia Oliveira, do Estado de Minas

FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO 2014 EM MINAS NOVAS-MG

Os Imperadores José Simplício e Daniele convidam a todos para participarem da tradicional Festa do Divino Espírito Santo em Minas Novas, nos dias 30 de maio a 08 de de junho de 2014.
Cartaz: Divulgação
Realização: Paróquia São Pedro do Fanado

DIVULGADA A PROGRAMAÇÃO DA FESTA DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS DE MINAS NOVAS 2014

O Juiz Geraldo Celso Miranda e a Juíza Maior Maria do Rosário Figueiredo, convidam a todos para vivermos este grande momento de fé e de confraternização.

Confira a programação da Festa do Rosário dos Homens Pretos de Minas Novas 2014:
Cartaz: Divulgação Oficia. Clique para ampliar


12 de Junho de 2014
04h00min – Quinta - feira do Angu
(Lavação da Igreja)
15 a 23 de Junho
Novenas com participação dos Corais:
Agnus Day, Agape, Irmã helena e São José.
Leilões e Barraquinhas
23 a 25 de Junho
Feira de Artesanato
23 de Junho – Dia do Mastro
09h30min – Transição da Imagem de Nossa Sra. Do Rosário, Tambozeiros Rei Tiago, Grupos de Santiago, Bemposta e banda de Música de Minas Novas.
19h00min – Ultima Novena e logo após levantamento do Mastro
com Show Pirotécnico.
Último Leilão – responsáveis: Minasnovenses Ausentes
23h00min Show com Dimas e Seus Teclados
24 de Junho – Cortejo
08h30min – Cortejo Real, com participação da banda de Música de Minas Novas e Grupos Folclóricos locais e visitantes.
10h00min – Missa Solene da Festa.
15h00min – Shows com artistas locais.
18h30min – Procissão, logo após coroação.
25 de Junho – Dia da Posse
08h00min – Transição e abertura do Cofre para recolhimento dos anuários.
19h00min – Missa Campal e Posse dos Novos reis para 2014

Blogger Themes

2leep.com

 
Powered by Blogger