quinta-feira, 11 de abril de 2013

CAPELINHA TEM BAIXO ÍNDICE DE APROVAÇÃO EM EXAMES DE RUA PARA MOTORISTA


A média de aprovação foi de 18,1%, nos últimos 4 meses. CONTRAN exige o mínimo de 60% por auto-escola.
Candidatos a condutores de veículos reclamam da grande exigência dos Examinadores do DETRAN de Capelinha.



Nem 20% dos candidatos conseguem tirar a Carteira de Habilitação, na cidade de Capelinha, no Alto Jequitinhonha, no nordeste de Minas Gerais.
Um levantamento realizado pelo UAI Notícias por meio de dados do Departamento de Transito de Minas Gerais (Detran-MG), sobre os índices de aprovação mensal de candidatos, apontou que os Centros de Formação de Condutores, em Capelinha, tiveram um índice de aprovação nos exames práticos de direção abaixo da média exigida pelo  Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

De acordo com os números do Detran do estado, nas provas da categoria B, para veículos automotores de quatro rodas e de lotação máxima de oito lugares, a média de aprovação foi de 18,1%, bem menor do que os 60% exigidos para cada CFC  - Centro de Formação de Condutores. 

Já para a categoria A, de veículos de duas ou três rodas, os números foram um pouco melhores. Dos 4 CFCs  credenciados que participaram do exame, dois ultrapassaram os 42%  de aprovação, ainda abaixo do que exige a Resolução 358/2010, do CONTRAN, no seu artigo 11. 

Já nas provas de Legislação, todas as autoescolas em bons índices de aprovação.
Veja tabela abaixo, com dados fornecidos pelo DETRAN-MG:


A queda na aprovação no exame para as categorias, tem sido motivo de preocupação das autoescolas e do Detran de Capelinha. O gerente da autoescola Transitar, de Capelinha, Valter, se diz preocupado  com os problema no índice de aprovação. Para ele, o problema é geral, e o principal motivo de reprovação no exame é o nervosismo e a rigidez no exame.
“Aqui temos alunos que foram reprovados 6 e até 7 vezes no exame de direção”, afirmou ele.
Já Geraldo Barbosa, da Auto Escola Liderança, reclama da grande evasão de pessoas para outras regionais do Detran já que o índice de reprovação na regional é alto. “Muitos alunos estão preferindo transferir suas pautas para as regionais de Araçuaí, Guanhães, Pedra Azul e até mesmo para o estado da Bahia”, enfatiza ele.

Geraldo afirma que o índice de reprovação começou a diminuir nos últimos 6 meses. Também disse que o local do exame não influencia no aumento desse índice. “Nós temos a precaução de só encaminhar o aluno quando ele realmente está preparado. Mesmo assim, a reprovação é grande”, termina ele. Para ambos dirigentes de CFCs, a baliza é a principal responsável pela reprovação dos alunos.

Auto-escolas jogam a responsabilidade em cima do nervosismo dos candidatos

O Uai Notícias também procurou a CFC São Cristóvão, mas o diretor de ensino responsável não estava. Por isso, não foi possível se pronunciar sobre o assunto. 

Delegado busca soluções para baixa aprovação 

O Delegado Regional de Polícia Civil, Rômulo Quintino da Silva, também está preocupado com baixo índice de aprovação nos exames de quem busca passar no exame prático de automotores de quatros rodas com capacidade máxima de até oito lugares.
Segundo ele, a reprovação no exame é resultado de uma série de fatores que vão desde a falta de preparo dos candidatos até o nervosismo na hora do exame. “O nervosismo no momento do exame tem sido um dos grandes fatores que levam a reprovação do candidato”, disse ele.
“Temos feito junto com as autoescolas e os examinadores diversas reuniões para tentar encontrar melhores soluções. Uma das sugestões dadas pela Regional às autoescolas é a aplicação de um simulado do exame aos alunos. Dessa forma, os alunos diminuiriam o nervosismo e teriam mais capacidade de enfrentar a banca”, enfatizou ele.

Atualmente, uma nova Resolução estabelece uma distancia máxima do meio fio de 40 cm, no teste de rua da baliza. A nova Resolução garante maior aprovação dos alunos nos exames. 

Quintino avalia ainda que o maior índice de aprovação para categoria A de veículos de duas ou 
três rodas é devido muitos candidatos já terem prática antes de direção. “Muitos destes candidatos que tentam CNH para moto são oriundos da zona rural e, na maioria das vezes, já andam de moto. Por isso, apresentam melhor preparação para o exame”, disse ele.
O Delegado alerta sobre o risco de pessoas que tentam carteiras facilitadas. “Nossa regional já cassou várias habilitações falsas. O risco é muito grande para pessoas que buscam habilitações dessa forma”, finalizou ele.

Por Hélio de Sousa, no UAI Notícias

Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    0 comentários:

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger