quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

RUBINHO DO VALE COMEMORA TRÊS DÉCADAS DE CARREIRA COM O CD ESTRADA


Estrada,  novo disco do cantor e compositor mineiro Rubinho do Vale, serve não apenas de pretexto para a comemoração de seus 30 anos de carreira, mas também para marcar o retorno do artista ao repertório destinado ao público adulto, pois há 20 anos ele tem lançado álbuns autorais dedicados às crianças.


Há cinco anos Rubinho não lançava um trabalho para os maiores de 10 anos. Para gravar o novo disco, ele tirou da gaveta as composições que vinha guardando. A noite de autógrafos será hoje, no Boi Lourdes, emBelo Horizonte. O show está previsto para janeiro.

“Por causa dos 30 anos de carreira, pensei em fazer coletânea, mas acabei optando por gravar só inéditas”, conta Rubinho. São 13 faixas, quase todas assinadas pelo artista, que selecionou também parcerias com Gildes Bezerra (Percurso), Wesley Pioest (Conforme o vento), Geovane Figueiredo (Jequitinhonha), Paula Benevides (Prelúdio do interior) e João Evangelista (Galope).

Jequitinhonha

O repertório é aberto com BH, Barcelona e Berlim, canção na qual Rubinho exalta o caráter universal da música. O artista segue fiel a elementos estéticos que ajudam a identificar facilmente seu trabalho com o universo interiorano, seja na letra ou na melodia. “Não gosto muito da expressão música regional, pois quando canto a minha região, o Vale do Jequitinhonha, canto o mundo”, explica ele – nascido na cidade de Jacinto e criado em Rubim.

Essa impressão pode ser reforçada pela participação de quatro convidados especiais do disco: o violeiro Ivan Vilela, o cantor e violinista Antônio Nóbrega, a cantora Fernanda Takai e o filho de Rubinho, Davi Botelho, que canta em Conforme o vento. 

“As participações deixaram meu disco mais rico e aberto. Quem ouvi-lo perceberá a evolução, mas sem sair dos trilhos”, comenta Rubinho. O álbum foi gravado entre maio e julho na capital mineira. Direção e arranjos ficaram a cargo dele e do violonista Fernando Rodrigues.

“No passado, sabia que minha música não agradava comercialmente a rádios e gravadoras. Muita gente achava que era um trabalho folclórico, mas essa é a característica de que mais gosto”, desabafa o compositor mineiro. Com o tempo, veio a certeza de que ele queria mesmo compor nessa linguagem. “O Antônio Nóbrega me ajudou a perceber, por meio de seus discos, que era possível construir uma obra cantando as coisas da minha região”, conta Rubinho.

Pequenos

Estrada não fará Rubinho deixar de lado sua produção voltada ao público infantil, iniciada em 1990 com Ser criança. O oitavo título do gênero já foi gravado e deve ser lançado em março. “Não procurei a música infantil; ela me procurou. De tanto ver a mesmice oferecida às crianças, resolvi fazer algo que refletisse a infância no interior, que era tão bonita”, explica.

Autoral, esse disco conta com cantigas de roda cujos versos registram experiências de Rubinho com números e letras. “Não fiz isso para ser pedagógico, mas porque acho engraçado mesmo”, completa. Seu álbum mais recente dedicado às crianças é Arraiá do Rubinho (2009), que contempla o universo das festas juninas. Por conta dessa discografia para baixinhos, o artista tem o prazer de receber cartas elogiosas do Brasil inteiro.

Sobre o Autor: Bernardo Vieira
  • Perfil Completo
  • Website | Google+ | Twitter | Facebook
    Bernardo Vieira

    Sou mais um apaixonado pelo Vale do Jequitinhonha e suas riquezas. Venho, através deste blog, tentar expandir a cultura do vale, bem como trazer novidades e coisas úteis em geral. Formado em Administração pela UFLA - Universidade Federal de Lavras e Funcionário Público Estadual (TJMG). contato pelo email: nabeminasnovas@yahoo.com.br ou bernardominasnovas@hotmail.com.

    0 comentários:

    Postar um comentário

    As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do Blog.Não serão aceitos comentários ofensivos, de baixo calão.

    Blogger Themes

    2leep.com

     
    Powered by Blogger